“Saúde não é um gasto supérfluo”

MPT critica cortes do Governo Regional na área da saúde.

O Movimento Partido da Terra esteve, hoje pela manhã, no concelho de Santana, para abordar os cortes previstos pelo Governo Regional da Madeira, através da Secretaria Regional dos Assuntos Sociais.

João Isidoro sublinhou que a prestação de cuidados de saúde à população não pode ser considerada um gasto supérfluo. No caso do encerramento das urgências do Centro de Saúde de Santana, dada a distância ao concelho de Machico, “a Região Autónoma da Madeira deve defender o interesse público do cidadão”.

Apesar de compreender o momento atual, a contenção que é exigida aos governos Regional e da República, há sectores onde não é possível cortar. “Há sectores que não podem sofrer mais restrições, sob pena de deteriorarem ainda mais as condições de vidas das famílias, sobretudo daquelas mais carenciadas”.

As críticas do Partido da Terra foram extensivas ao encerramento do Tribunal de São Vicente, medida que consta do novo Mapa Judiciário. “Estamos a falar de um tribunal que, nesta altura, tem mais de 350 processos. Por isso, também aqui, compete ao Governo Regional assumir uma postura”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest