Carnaval é sinónimo de Vespas

Ricardo Campos promete um Carnaval ‘repleto de muita animação, diversão e festa’ na Discoteca Vespas.

Na próxima sexta-feira realiza-se na Discoteca Vespas a tradicional “Noite do Travesti”, a qual este ano tem como tema central: “Sopeiras para todo o serviço!”. Como é habitual, haverá um prémio de 500 euros para o melhor travesti.

“As Vespas têm uma tradição de Carnaval muito forte. Podemos mesmo dizer que fomos nós que introduzimos a noite travesti na Ponte do Ribeiro Seco. A partir dessa altura, a tradição foi crescendo e hoje em dia a sexta-feira de Carnaval já é sinónimo de noite do travesti”, salientou Ricardo Campos.

O responsável pela animação da Discoteca Vespas frisou, também, que a festa Hippie “O Espírito do Amor”, que se realiza na próxima segunda-feira, é outra grande referência da noite em termos carnavalescos.

“Estas duas noites (travesti e hippie) têm uma força e um carisma que estão fortemente associadas à nossa imagem de marca. Temos já uma tradição de 30 anos, sendo muitos os estabelecimentos de diversão noturna que vão atrás das nossas festas”, apontou Ricardo Campos.

Refira-se, ainda, que no sábado de Carnaval os ritmos serão brasileiros nas Vespas, através da festa “Ai se eu te pego. “Nesta noite os ritmos brasileiros, como por exemplo o samba, vão ser uma constante. Aliás aproveitamos o facto de no sábado haver o cortejo de carnaval, o qual congrega várias trupes ligadas à escola de samba da Madeira”, indicou Ricardo Campos.

Ainda associado ao Carnaval, no dia 25 de Fevereiro (sábado) a Discoteca Vespas realiza a festa do ‘Enterro do Osso’, sendo que o público deverá ir todo vestido de negro.

Apesar da tão propalada crise, Ricardo Campos está otimista que as propostas de Carnaval da Discoteca Vespas tragam, conforme acontece todos os anos, um grande número de pessoas. “Estamos à espera de ter um Carnaval forte, por questões tradicionais da Madeira. Por outro lado, penso que as pessoas têm necessidade de se divertir e de aliviar o seu stress, esquecendo-se das coisas negativas da vida”, sublinhou.

Aquele responsável considera, ainda, que o facto deste ano o Cortejo Alegórico de Carnaval  terminar na zona  da Discoteca Vespas não vai ter grande influência a nível de negócio.

“Normalmente as pessoas que assistem ao cortejo não são o nosso público habitual que frequenta os nossos três espaços (Vespas, Jam e Marginal). Por isso, penso que o facto do cortejo terminar nesta zona não tem qualquer influência”, concluiu Ricardo Campos.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest