PRODERAM com baixa taxa de execução

Os centristas alertam que a taxa de execução do PRODERAM é inferior aos 50%.

No âmbito das sessões de esclarecimento sobre os impactos das medidas do  programa de assistência financeira à Madeira, o CDS esteve ontem à noite no concelho da Ponta do Sol.

Naquela localidade, Rui Barreto  pediu a sensibilidade do Governo Regional para aproveitar as verbas disponíveis ao abrigo do PRODERAM, que são na ordem dos 210 milhões.

“Este programa tem uma taxa e execução muito baixa, na ordem dos 40%. Pedimos ao governo que encontre uma solução, para rapidamente garantir o co-financiamento de 15% nos projectos, para que essas empresas e esses particulares possam investir contribuindo para a riqueza e realização dos projectos”, apontou o deputado do CDS/PP.

Rui Barreto lamentou também o facto de ter sido ontem anulado, na Assembleia Legislativa, o subsídio de insularidade de 2% e a ajuda de 30% para os titulares de cargos públicos da  administração pública regional e local.

“É lamentável que retirem 2% aos funcionários públicos, uma poupança na ordem dos 6,5 milhões de euros, e depois na mesma medida a maioria social-democrata não tenha aprovado uma  proposta do CDS que previa uma revisão cirúrgica do sector político administrativo que consistia, basicamente, em retirar as benesses que os deputados têm, como seja o subsídio de reintegração e as pensões vitalícias. Isto demonstra bem qual é a prioridade do Governo Regional e o grau da sua desorientação”, concluiu o deputado centrista.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

[twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest