Ireneu Barreto é ‘uma espécie de segundo bispo’

O PND considera que o representante da República tem “tido um comportamento absolutamente inaceitável”.

Em causa está o facto de Ireneu Barreto, nos últimos tempos, “andar a visitar as obras do regime jardinista e a fazer elogios ao governo de Jardim”.

Há dias o senhor representante chegou mesmo a dizer que a Madeira era uma terra democrática, onde não há problemas de democracia”, apontou Baltasar Aguiar, esta manhã em conferência de imprensa.

Contudo, o dirigente do PND discorda com as afirmações de Ireneu Barreto, referindo que o mesmo nunca ouviu os partidos da oposição. “Toda a oposição diz que existe um problema grave de democracia na Madeira”, sublinhou.

Baltasar Aguiar deu como exemplos “da falta de democracia” os incêndios de automóveis e a agressão a dirigentes da oposição por “parte de membros da JSD”.

O vereador do PND na Câmara Municipal do Funchal (Gil Canha) foi barbaramente agredido à saída de um estabelecimento noturno da cidade devido à sua inclinação política, tendo também sido anteriormente gravemente agredido por membros da JSD em inaugurações do Governo Regional do PSD”, denunciou o dirigente do PND, acrescentando que Ireneu Barreto “nunca procurou saber o que é que se passa em termos de democracia”.

O representante da República diz que há liberdade na Região porque nunca foi agredido. Enquanto ele falar bem do regime jardinista pode andar descansado pela rua que ninguém lhe vai fazer mal nenhum”, apontou Baltasar Aguiar.

Aquele responsável político comparou ainda Ireneu Barreto a “uma espécie de segundo Bispo”, pois “onde está o dr. Jardim ele também está”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest