Tempo seco faz disparar infeções respiratórias

A afluência às consultas de pneumologia tem aumentado, nos últimos meses, devido ao aparecimento de mais infeções respiratórias. 

 A seca verificada nos primeiros dois meses de 2012 causou um agravamento das infeções respiratórias na Região. Quem o diz é a pneumologista, Conceição Pereira, que em declarações ao CidadeNet afirmou que “na medicina ambulatória, caso do seu consultório, a afluência às consultas aumentou porque há muitas pessoas com infeções respiratórias devido ao tempo seco.

“Como não chove, e a chuva é responsável por limpar a atmosfera, há mais poluição e partículas no ar que propiciam o aparecimento de infeções respiratórias, em alguns casos infeções graves”, explicou a médica, sublinhando que por aquilo que os colegas que fazem urgência comentam também têm crescido a procura pelo serviço devido a infeções respiratórias “nas vias superiores e inferiores, ou seja, nariz e brônquios”.

Conceição Pereira refere ainda que têm aparecido muitos casos de problemas nos brônquios, tosse com e sem expetoração, que agravam as queixas dos doentes que já padecem de problemas respiratórios, sendo que devido a este tempo de seca, cresceu também o aparecimento de novos casos de infeções das vias respiratórias. A pneumologista esclarece que há muitos casos de utentes que até não tem febre mas apresentam um quadro clínico de grandes dificuldades respiratórias devido a concentração de pólenes no ar que se acentua com o tempo seco. Os doentes com asma e doença pulmonar obstrutiva crónica são os que mais se ressentem com este tempo afirma Conceição Pereira. A continuar o tempo seco a médica prevê que o número de doentes com infeções respiratórias aumente consideravelmente.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest