Aumento do ISP no Porto Santo não tem lógica

Socialistas estão preocupados com o aumento generalizado dos impostos e reflexos na economia.

A iniciativa política do PS/Madeira serviu para abordar o aumento generalizado dos impostos na Região Autónoma da Madeira. Jaime Leandro, dirigente socialista, mostrou-se preocupado com a implicação destes aumentos nas famílias e nas empresas.

“A economia da Região Autónoma da Madeira já passa por um estado calamitoso”, sendo que, a partir de Abril, por causa do Plano de Ajustamento Financeiro, as consequências serão ainda piores.

O socialista disse que o aumento do Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP), que surge para compensar a não aplicação de portagens, não tem razão de ser. E no caso do Porto Santo, em concreto, muito menos.

“Não tendo o Porto Santo auto-estradas, por que carga de água é que terá de suportar um ISP ainda mais elevado, isto na sequência de todas as reduções que os portossantenses já viram efetuadas nos seus vencimentos, nomeadamente a questão do subsídio de insularidade e a questão da sazonalidade”.

Nesta ação do PS ficou o alerta ao Governo Regional. Se a ideia é angariar receitas com estes impostos, o resultado pode não ser o desejado. Jaime Leandro afirmou mesmo que, por este caminho, “não atingiremos o estatuto de Singapura do Atlântico que o dr. Alberto João Jardim queria para a Madeira”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest