A Madeira está a ser alvo de ataque

Alberto João Jardim denunciou hoje que está em curso “um ataque contra quem diz mal” daquilo que se passa em Lisboa.

“Quem fala contra aqueles poderes financeiros, fortíssimos em todo o mundo, que trouxeram as economias e as finanças a todo este desregradio, que é agora o pobre do povo que tem de pagar? Mas esses grandes grupos económicos, que passaram a vida a fazer toda esta pouca vergonha que nos trouxe a esta situação, continuam felizes da vida”, apontou o presidente do Governo Regional, esta manhã no concelho da Calheta.

Jardim frisou ainda que ao denunciar aquilo que se passa já é motivo suficiente para “as forças mais poderosas” da sociedade portuguesa se “moverem contra a sua pessoa e contra” o governo da Madeira. “Porém, eu não vou desistir”, sublinhou.

O chefe do executivo regional, que falava esta manhã no âmbito das iniciativas para explicar à população a situação das finanças regionais, aproveitou para convidar os presentes a participarem na Festa do Chão da Lagoa, no sentido de “se dar uma resposta aos inimigos” da Madeira.

“Se os nosso inimigos pensam que nós vamos ceder, nós temos que lhes dar uma resposta já forte na festa da autonomia do Chão da Lagoa, que vai ser este ano no dia 22 de Julho. É preciso ir lá demonstrar que o povo madeirense continua com força”, transmitiu.

Alberto João voltou a afirmar que “não está arrependido” de ter feito dívida, dado que esta permitiu o desenvolvimento da Madeira. “Quando assumi o Governo da Madeira, não assumi o cargo para andar a deixar tudo na mesma, tinha o dever, tinha a obrigação de fazer as transformações que fizemos. Como não havia dinheiro tive que recorrer aos bancos para fazer com essa dívida aquilo que se tinha que fazer ao longo dos anos”, frisou.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest