Jardim critica “folclore” que perturba a ação governativa

Governo diz, em comunicado, que a Moção de Censura do PS não tinha substância.

No comunicado assinado pelo presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, a moção de censura é apresentada como “mais uma falta de vergonha dos socialistas, na medida em que são os responsáveis pelo estado a que Portugal chegou e por medidas que agravaram as finanças madeirenses”.

E mais, se o argumento para a retirada da moção é o da não presença do presidente do Governo, “então fica demonstrado que o partido socialista não tem qualquer razão substancial para apresentar uma moção de censura, pois tendo-a, mantinha, debatia e votava”.

O governante esclarece que todo “este folclore dos pequenos partidos visa perturbar a ação governativa, através de constantes pretensões de “chamadas” à Assembleia Legislativa, quando os Órgãos de governo próprio estão concentrados em desafios mais importantes para o futuro do Povo Madeirense”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest