Apoio ao emprego falta quando é mais preciso

Comunistas estão preocupados também com a precariedade laboral, que incide sobretudo nos jovens.

A CDU/Madeira está preocupada com o aumento do desemprego na Região Autónoma da Madeira mas, acima de tudo, com a falta de medidas políticas para inverter esta tendência. Não esquecer que, no último ano, encerraram oito centros regionais de emprego.

Na conferência de imprensa de hoje, realizada em frente ao Instituto de Emprego da Madeira, Ricardo Lume apontou ainda que as famílias madeirenses estão a braços com a precariedade laboral.

“A taxa de desemprego na Madeira, segundo dados oficiais, atingiu um novo recorde de 16,1%, o que reflete uma tendência de aumento do desemprego, devido também aos crescentes vínculos precários”.

O dirigente comunista explicou que, nos primeiros meses de 2012, 1700 trabalhadores se increveram no Centro de Emprego, com destaque para os jovens licenciados. E por outro lado, aqueles que regressam ao mercado de trabalho, até por indicação do Governo, fazem-no de forma precária,

“A opção do Governo em defender os vínculos precários e os contratos a prazo para postos de trabalho permanente está a originar mais desemprego”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest