CDS exige renegociação da dívida

Lino Abreu desafia o Governo Regional a ter um plano B para fazer face ao actual Programa de Ajustamento Financeiro da Madeira.

“O aumento sobre a carga fiscal, tanto nas empresas, como nas famílias, na ordem dos 25%, é insuportável, pois está a levar a um colapso financeiro e económico; está a levar a um grande aumento de insolvências e cada dia que passa temos entre 10 a 15 funcionários a ir para o desemprego. Isto é uma situação dramática e o Governo Regional não se pode demitir de um problema que criou”, apontou o deputado do CDS.

Lino Abreu falava esta manhã na Ribeira Brava, concelho onde decorreu este fim-de-semana a jornada “Ao Encontro dos Cidadãos”. “Após três dias na Ribeira Brava chegamos à triste conclusão que temos neste concelho um tecido empresarial com grandes dificuldades, temos carências sociais enormes e temos dificuldades no acesso a tudo o que seja bens essenciais”, apontou.

Porém, o deputado centrista recorda que, infelizmente, a Ribeira Brava não é o único concelho da Região a “passar por graves dificuldades”. “O tecido económico e empresarial da maioria dos concelhos da Madeira está a morrer, está fechado (…). Hoje, passados quase 6 meses da assinatura do plano de ajustamento financeiro, é impensável levar este plano até ao fim. É necessário renegociar já, porque cada dia que passa são dezenas de funcionários a ir para o desemprego e dezenas de empresas a declarem insolvência”, alertou.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest