CDU explica ‘fracasso’ da Zona Franca

Edgar Silva considera que “o insucesso” da  Zona Franca Industrial da Madeira deve-se a “erros gravíssimos de orientação estratégica do regime jardinista”.

A CDU abordou hoje, em conferência de imprensa, o “insucesso” na Zona Franca Industrial da Madeira (ZFIM). Na referida iniciativa, Edgar Silva apresentou um conjunto de indicadores “que confirmam que o referido fracasso deve-se à evolução negativa de um conjunto de variáveis a vários níveis”.

Assim, o deputado comunista apresentou quatro grandes conclusões. A primeira delas refere que a ZFIM foi criada com um determinado horizonte temporal relativo aos principais benefícios fiscais, prazo que, entretanto, se esgotou. Porém, “não houve a capacidade de preparar um conjunto de condições para que o projeto se implantasse como alternativo”, apontou.

“A segunda conclusão é que a ZFIM não fracassou em função do presente, mas sim de um fracasso  há muito tempo anunciado, pois foi gradualmente perdendo competividade, perdeu empresas, perdeu organismos financeiros e perdeu receitas”, indicou Edgar Silva.

Em terceiro lugar, o deputado comunista diz que “não se compreende” como é que  a ZFIM, apontada como uma estrutura de interesse estratégico para a Madeira, nunca passou para a gestão direta do Governo Regional. “A ZFIM nos moldes em que tem operado  apenas tem servido para, à custa dos dinheiros públicos, fazer lucrar determinadas clientelas do jardinismo”, acusou.

Por fim, a quarta conclusão dos comunistas “é que o fracasso da ZFIM deve-se, desde logo, a erros de orientação estratégica da parte do jardinismo. Ou seja, não se deve a algo ou alguém exterior ao regime, mas sim a erros e a incapacidades  do próprio jardinismo”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest