Greves provocam trabalho acrescido

António Cruz afirma que as agências de viagens “não têm mãos a medir” quando existem greves agendadas.

O diretor da Agência Abreu na Madeira refere que as sucessivas greves dos controladores aéreos “têm provocado uma trabalheira redobrada”, uma vez que há a necessidade de se remarcar as datas ou os horárias dos voos dos clientes.

“Prejuízos financeiros propriamente ditos não existem, pois as pessoas têm que viajar e não deixam de viajar por causa disso. Ou seja, os nossos clientes adaptam ou direcionam as suas saídas para as datas que à partida não são prejudicadas por nenhum tipo de greve”, apontou António Cruz.

O responsável pela Agência Abreu frisou, ainda, que a desmarcação em cima da hora da greve de cinco dias dos trabalhadores da NAV, fez com que “todo o trabalho realizado fosse quase em vão”.

“A conclusão a que chegamos é que tivemos uma série de trabalho e criou-se uma ansiedade, tanto do nosso lado, como do lado dos passageiros, perfeitamente evitável se a greve tivesse sido desmarcada com maior antecedência. Mas já sabemos que é assim que as coisas funcionam”, observou António Cruz.

O diretor da Agência Abreu na Madeira referiu, também, que a “anunciada greve dos pilotos da TAP”, agendada para o início de julho e agosto, tem feito com que as pessoas evitem marcar viagens para os dias em que está prevista a realização da greve. “As pessoas tentam marcar viagens para fora desses dois períodos de greve. A TAP também facilita a remissão dos bilhetes sem qualquer penalização para os passageiros”, concluiu.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest