SIM desmente Miguel Ferreira

O Sindicato Independente dos Médicos afirma que a taxa de adesão à greve é de 90% e não 37%, conforme foi anunciado pelo presidente do conselho de administração do SESARAM.

O secretariado regional da Madeira do Sindicato Independente dos Médicos (SIM) reitera que a taxa de adesão dos médicos à greve no período da manhã foi de cerca de 90%, contrariando os números apresentados pelo presidente do conselho de administração do SESARAM, Miguel Ferreira, que apontam 37% de adesão.

“Excluindo da estatística os médicos que se encontram de férias, de baixa, ao serviço de urgência, em prevenção e nos serviços mínimos, ao contrário do que considera o SESARAM, que os contabiliza como estando a trabalhar, temos estes números de adesão à greve: Serviços com 100% de adesão – Nefrologia; Endocrinologia; Psiquiatria; Cirurgia Pediátrica; Cirurgia Plástica; Cirurgia Cardiotoracica; Imunohemoterapia – Banco de Sangue; Hemato-oncologia; Imunoalergologia; Neurologia. Serviços com a presença de um médico: Cardiologia; Cirurgia Geral; Ortopedia; Otorrinolaringologia; Urologia; Cirurgia Vascular; Reumatologia; e Pneumologia”, pode ler-se no comunicado enviado esta tarde pelo secretariado regional da Madeira do SIM.

“Se, com base nos números de adesão adiantados pelo Dr Miguel Ferreira (37%), as valências de consultas e bloco operatório encontram-se de facto encerradas, então permitir-se-á concluir que são os médicos grevistas que asseguram as mesmas e deles depende a normal funcionalidade dos hospitais e centros de saúde”.

Conclui-se que, para desânimo do conselho de administração do SESARAM, os médicos mostraram a esse conselho um claro sinal de aviso no sentido de terminar o clima de desconsideração e perseguição à classe médica madeirense”, termina o comunicado.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest