MPT expressa preocupações dos produtores de uvas

Todos os anos os agricultores “são confrontados com os mesmos problemas”, aponta João Isidoro.

O Movimento Partido da Terra (MPT) contactou, hoje pela manhã, com alguns agricultores produtores de uvas, no concelho de Câmara de Lobos.

Apesar do Governo Regional dar garantias do escoamento e de outras compensações financeiras, João Isidoro referiu que os agricultores já não acreditam nas promessas dos governantes.

“Todos os anos os agricultores, produtores de uvas, são confrontados com os mesmos problemas. Ou seja: o escoamento total das uvas, a data do início das vindimas, o critério de apuramento do grau, o preço por quilo e o subsídio de compensação, para aqueles cujas uvas não atinjam os nove graus”.

O dirigente do MPT explicou que estas questões precisam de uma rápida solução, até porque o sucesso e a qualidade das vindimas estão delas dependentes. “Se não forem criadas as condições para a receção das uvas que amadurecem, por causa do tempo quente, os agricultores perdem parte da sua produção”.

Este ano, segundo indicação do Instituto do Vinho, do Bordado e do Artesanato, prevê-se um bom período de vindimas. Mas, mais do que as declarações, são precisas ações concretas no terreno. “Fazemos fé para que as declarações correspondam à verdade”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest