“Gordon” provoca prejuízos na área agrícola [FOTOS]

A passagem do furacão “Gordon” esteve na origem de 18 ocorrências sem gravidade nas ilhas de S. Miguel e Santa Maria.

No rescaldo da passagem do furacão “Gordon” pelos Açores, o Presidente do Governo considerou fundamental “realçar aquilo que é hoje o civismo e a cultura de proteção civil dos açorianos em geral. A forma como todos cumpriram as orientações dos serviços especializados, mantendo-se nas suas casas, acautelando corretamente os seus bens. Os pescadores, os agricultores, os industriais, a forma como todos procederam de acordo com as instruções que lhes haviam sido dadas e com as ações de prevenção que foram desenvolvidas permitiu também minimizar em muito aquilo que podia ser um potencial mais elevado de prejuízos que felizmente não se verificaram”.

Carlos César falava no início da tarde de hoje numa conferência de imprensa para balanço final da passagem do “Gordon” pelo arquipélago. No encontro, que decorreu no Palácio da Conceição, esteve acompanhado pelo Secretário Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, José Contente, e pelo Presidente do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, Pedro Carvalho. “Felizmente, não se observaram prejuízos de maior em bens e infraestruturas e, muito menos, de natureza pessoal”, salientou o Presidente do Governo.

Verificaram-se onze ocorrências na ilha de Santa Maria sobretudo relacionadas com inundações em habitações ou pequenos prejuízos e também intervenções em vias de comunicação.

Em São Miguel foram registadas sete ocorrências, também elas de pequenas intervenções, e falhas de energia elétrica prontamente resolvidas.

É de salientar que Carlos César, durante toda a noite, visitou, acompanhado por diversos membros do Governo, os portos de Ponta Delgada, Lagoa, Vila Franca do Campo, Ribeira Quente e Povoação, tendo acompanhado o evoluir da situação quer no Palácio de Santana quer no centro de operações do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores.

Carlos César referiu na ocasião que os prejuízos maiores resultantes do furacão “Gordon” aconteceram na área agrícola. “Já tive oportunidade de estar hoje de manhã com os nossos serviços a conferirem essas situações e também de falar com os senhores presidentes da Associação Agrícola de São Miguel e da Associação Agrícola de Santa Maria”, acrescentou.

Houve prejuízos na área hortícola e frutícola e em algumas infraestruturas, nomeadamente estufas na ilha de Santa Maria. Neste momento, tal como em São Miguel, está a ser feito um trabalho detalhado para deteção dessas situações e para verificar se é necessária a intervenção, a ajuda ou o apoio dos serviços públicos e do Governo Regional.

Também no caso da ilha de São Miguel, há vários quilómetros de caminhos agrícolas que estão afetados e que neste momento estão a ser objeto de intervenções de desobstrução com vista à sua operacionalização, o que acontecerá no dia de hoje. Há também limpezas e pequenas intervenções em estradas regionais. Vai ser iniciada amanhã uma nova vistoria geral a cursos de água e ribeiras na ilha de São Miguel, para verificar se entretanto ocorreram obstruções que coloquem em causa o normal curso dessas escorrências.

Carlos César fez questão de enaltecer “a capacidade que os açorianos em geral e as instituições que intervêm no tratamento destes fenómenos o seu desempenho positivo. Gostava de incluir nisso os 870 trabalhadores da administração regional, as forças de segurança, os bombeiros e os trabalhadores das diferentes câmaras municipais que estiveram também em alerta durante toda a noite. Realçar ainda o estado de prontidão militar em que as Forças Armadas foram colocadas e em particular o apoio que desenvolveram na mobilidade aérea.”

[twitter style=”vertical” float=”left”][fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest