JP continua sensibilização contra o consumo de “bloom”

Luísa Gouveia diz que apesar da aprovação da legislação contra-ordenacional é fundamental apostar na prevenção.

A Juventude Popular realizou ao início da noite, no Bairro da Nazaré, uma iniciativa contra a utilização das “drogas legais”. No local, a presidente da JP, Luísa Gouveia, explicou que o partido vai continuar com as campanhas de sensibilização contra o uso do “bloom” junto das escolas e dos jovens por entender que são a população mais suscetível de consumir a referida droga. “Escolhemos este tipo de iniciativa por considerarmos esta população mais suscetível contando com vários fatores como a pressão social, ou seja, a necessidade de ser aceite pelo seu grupo de pares. Continuaremos com esta ação preventiva porque é a forma mais eficaz para alertar e prevenir comportamentos disruptivos neste público alvo”, esclareceu.

A também deputada centrista mostrou preocupação com o facto de ninguém saber o que foi feito aos stocks de “bloom” das smartshops que entretanto fecharam com a aplicação da lei que proíbe a venda das conhecidas “drogas legais”.“É importante a legislação contra-ordenacional entretanto aprovada, mas sozinha não terá a mesma eficácia. A fiscalização neste momento é essencial por isso questionamos que destino foi dado aos stocks existentes nas smartshops que entretanto fecharam?”, interrogou a deputada, salientando não há controle da venda on-line do “bloom” uma vez que a lei a nível nacional ainda não foi aplicada nem aprovada.

De referir que a JP foi convidada para dinamizar uma ação de formação a jovens adultos com historial de consumo numa escola da Região.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”][fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest