Mercado imobiliário continua a dar sinais positivos

No primeiro trimestre deste ano foram transacionados cerca de 24 mil imóveis entre urbanos, rústicos e mistos.

mercadoDe acordo com os dados do Gabinete de Estudos da APEMIP – Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal, no primeiro trimestre deste ano foram transacionados cerca de 24 mil imóveis entre urbanos, rústicos e mistos. Janeiro foi o mês mais representativo, com 37% do total.

Estes números revelam um aumento das transações durante três trimestres consecutivos, face ao período homólogo confirmando assim as previsões de retoma do Presidente da APEMIP, Luís Lima. “O número de transações deste primeiro trimestre traduz o dinamismo crescente do mercado imobiliário português. Ainda que um pouco tímido, este valor é reflexo do progresso do mercado interno, que tem sido contagiado positivamente pelo programa de Autorização de Residência para Investimento e pelo Regime Fiscal para Residentes não Habituais”.

No entanto, apesar destes valores positivos, a fiscalidade aplicada sobre o sector tem colocado alguns entraves. “Impostos como o IMT ou IMI têm ser readequados à realidade do país em que hoje vivemos. O IMI está transformado numa espécie de bomba relógio social, pronta a rebentar a qualquer momento, numa realidade que é tão dramática como assustadora, se tivermos em conta o final das cláusulas de salvaguarda previsto para o ano que vem”.

Refira-se que, nos primeiros três meses de 2014, a área metropolitana de Lisboa apresentou 6,8% do total das transações imobiliárias registadas, sendo que a representatividade da área metropolitana do Porto foi de 5,1%, números que atestam a diminuição da relevância destas áreas, que se refletiu no aumento de transações de imóveis rústicos, em cerca de 50%, em outras zonas do país. Também a Madeira registou um ligeiro acréscimo nas transações.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest