Regata Internacional com condições climatéricas diferentes

Ao invés do vento de nordeste que normalmente se faz sentir nesta altura do ano, está a soprar um vento de sudeste.

Felipeva VICinco das 33 embarcações participantes na XVIII Regata Internacional Canárias-Madeira, passaram pelas Ilhas Selvagens por volta das 13 horas de ontem, o que revela uma boa velocidade e confirma, caso não haja alteração significativa das condições climatéricas, a chegada para a madrugada desta quinta-feira.

A regata deste ano está a ser disputada sob condições diferentes das habituais; ao invés do vento de nordeste que normalmente se faz sentir nesta altura do ano, está a soprar um vento de sudeste, entre os 10 e os 15 nós, fruto da depressão que neste momento afeta a zona dos Açores. Isto beneficia as embarcações de maior porte e penaliza aquelas que abdicaram da vela balão, que em condições normais não seria utilizada, por forma a beneficiarem de um menor handicap.

Neste contexto, deverão beneficiar de uma maior velocidade o Felipeva VI, uma embarcação praticamente nova, o Sorondogo IV, o Lola Siete, o Cochafisco, o Katanga e o Avanti Lanzarote, de maior porte e certamente com as velas balão içadas.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest