Desemprego com descida expressiva

DESEMPREGONo final do mês de julho de 2016, a Região apresentava 20.799 indivíduos inscritos no Instituto de Emprego da Madeira, o que representa uma descida de 1,3% em relação a junho, mês onde se registou um total de 21.079 desempregados. A taxa de desemprego atingiu, assim, o valor mais baixo desde janeiro de 2012, mês onde se registou 20.067 desempregados.Os dados mais recentes do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) dão conta que, no final do mês de julho de 2016, a Região Autónoma da Madeira apresentava 20.799 indivíduos inscritos no Instituto de Emprego da Madeira, o que representa uma descida de 1,3% em relação a junho, mês onde se registou um total de 21.079 desempregados (+280).
Em comparação com o mês homólogo do ano transacto, constatamos que o número de desempregados também desceu na Madeira, sendo que em julho de 2015 cerca de 21.582 indivíduos estavam sem emprego (+783).
O Instituto de Emprego da Madeira revelou também que “registou 4.726 reingressos de cidadãos inscritos no mercado de trabalho durante os primeiros sete meses de 2016, correspondendo a um aumento de 12,1% face a igual período de 2015”.
Por seu turno, fazendo uma análise ao todo nacional verifica-se que, no final do mês de julho de 2016, estavam inscritos, como desempregados, nos Serviços de Emprego do Continente e Regiões Autónomas, 497.663 indivíduos, número que representa 72,8% de um total de 683.973 pedidos de emprego.
“O total de desempregados registados no País diminuiu em comparação com o mês homólogo de 2015 (-6,6%; -35 035) e face ao mês anterior (-2,7%; -13 979). A evolução, comparativamente a julho de 2015, mostra a descida do desemprego nos homens (-7,9%) e nas mulheres (-5,4%)”, revelam os dados do IEFP.
A nível regional, e comparando com o mês de julho de 2015, o desemprego diminuiu em todas as regiões do País, com o valor mais elevado na região do Algarve (-19,2%).
“Em relação ao mês anterior, a tendência é também de descida anual e a região que apresenta o valor homólogo mais acentuado acontece na mesma região já referida: no Algarve com -10,0% de desempregados inscritos”, aponta o IEFP.

Pin It on Pinterest