“DAR A VER” aborda a arquitetura na Madeira no século XIX

No próximo dia 8 de outubro, sábado, pelas 15h, no Museu Quinta das Cruzes tem lugar a conferência A Arquitetura na Madeira no século XIX pelo arquiteto Rui Campos Matos, uma iniciativa integrada no projeto de divulgação cultural DAR A VER, da responsabilidade da Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura, através da Direção Regional da Cultura (Direção de Serviços de Museus e Património Cultural).

Na conferência do próximo sábado, Rui Campos Matos abordará algumas questões resultantes de um estudo mais vasto, realizado no âmbito da sua tese de doutoramento dedicada ao tema da “Arquitetura do Turismo Terapêutico”, defendida este ano na Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa. O que carateriza a arquitetura oitocentista madeirense? Será possível, sequer, falar de “arquitetura madeirense”, numa ilha onde, como escreveu um dia o arquiteto do Reid’s Hotel, “os projetos estavam todos a cargo de analfabetos”? Terá o turismo terapêutico – esse singular fenómeno que, em meados do séc. XIX trouxe à Madeira alguma da fina flor da aristocracia europeia – tido algum reflexo na arquitetura insular? O que distingue as quintas madeirenses das suas congéneres continentais? Que acrescentaram os “wine merchants” ingleses a esta arquitetura feita de jardins e paisagem? Estas serão algumas das questões que procurará responder.

Recorde-se que o projeto DAR a VER, que teve início em janeiro do corrente ano, tem por base a ideia da divulgação, de forma gratuita, do património artístico existente no arquipélago da Madeira.

Para além dos trabalhos de investigação, classificação e conservação e restauro, é essencial proceder-se à divulgação e ao conhecimento de um vasto e diversificado conjunto de bens móveis e imóveis postos à guarda de todos os madeirenses, e que constituem uma essencial reserva de identidade cultural.

Ao longo do ano têm vindo a ser convidados vários especialistas, locais e nacionais, que abordaram e abordarão de forma mais específica ou generalista aspetos dessa imensa diversidade cultural conservada in situ, ou já transitada para museus. O essencial do programa tem vindo constituído por visitas guiadas e por conferências a realizar em vários locais.

Depois da iniciativa do próximo sábado, o programa do DAR A VER termina, a 15 de outubro, com uma visita guiada.

Refira-se que as inscrições para a conferência de Rui Campos Matos podem ser feitas através do endereço daraver.drc@gmail.com, sendo que estão limitadas ao número de lugares da sala.

Pin It on Pinterest