Turquia continua a deter polícias

O Ministério Público da Turquia ordenou a detenção de mais 166 polícias, vários deles em funções de comando, devido às suspeitas de ligação a Fethullah Gulen, acusado de instigar a tentativa de golpe falhada de 15 de Julho.

A operação realizada na sexta-feira foi lançada durante a madrugada em 35 províncias, segundo o diário turco “Hurriyet”. Na lista do Ministério Público figuram 13 directores da polícia, 114 comandantes e 39 agentes, alguns dos quais já tinham sido suspensos de funções.

A purga lançada pelo presidente Recep Tayyip Erdogan ao abrigo da lei do estado de emergência, recorde-se, foi decretada após a tentativa de golpe e já levou ao afastamento de mais de dez mil polícias e dezenas de milhares de outros funcionários da administração pública.

Segundo a televisão NTV, os polícias são acusados de utilizar uma aplicação para telemóvel de mensagens codificadas, designada Bylock, desenvolvida para os apoiantes de Gulen poderem comunicar sem controlo das autoridades.

A imprensa turca escreve que o governo detectou 55 mil utilizadores daquela aplicação.

Pin It on Pinterest