Projeto Banco de Óculos com o apoio da SPO

No dia em que se assinala o Dia Mundial da Visão, é apresentada uma nova associação de solidariedade social, a A.B.O, Banca de Óculos – Associação de Solidariedade, com o novo projeto BANCO DE ÓCULOS. Sob o mote “Doe os seus óculos: para que ninguém olhe sem ver”, a associação foi hoje apresentada na Biblioteca do Museu Nacional de Arte Antiga, onde foi assinado um protocolo de cooperação com vista ao desenvolvimento do projeto BANCO DE ÓCULOS entre a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO), os Serviços Sociais da Câmara Municipal de Lisboa e os Serviços de Ação Social da Universidade de Coimbra.

O BANCO DE ÓCULOS tem como objetivo recolher os óculos usados (armações e lentes), doados por particulares, distribuindo-os posteriormente por pessoas carenciadas – crianças, adultos e idosos -, após realização de uma consulta por oftalmologistas voluntários. Hoje arrancam já dois projetos-piloto, em Lisboa e Coimbra, mas durante as próximas semanas vão ser colocadas caixas de recolha, com o logotipo da Associação, em supermercados e farmácias, alargando-se progressivamente a locais que concentrem muitas pessoas como grandes empresas, ministérios, igrejas, escolas. Várias parcerias com potenciais parceiros (colégios, lares, paróquias, farmácias e supermercados) estão já em curso, assim como com óticas para a posterior “catalogação” e ajuste dos óculos e lentes.

O BANCO DE ÓCULOS está também em contacto com instituições públicas e privadas que lidam com a realidade social, para que sejam indicadas as situações que reconheçam como verdadeiramente necessitadas (lares da Segurança Social, hospitais do SNS, IPSS de crianças e jovens, lares de acolhimento, lares de 3ª idade, entre outros).

A nova Associação será presidida pela Dra. Filomena Vieira Menezes Leitão, advogada de Direito Administrativo em Lisboa e que, através da sua experiência num projeto de voluntariado no Colégio de Santa Doroteia com uma escola secundária num bairro de Lisboa, tomou conhecimento desta realidade e tomou a iniciativa de avançar com este projeto social: “foi através do reconhecimento de uma realidade social de que os pais não levam muitas vezes os filhos ao oftalmologista, independentemente de estarem isentos de taxas moderadoras, porque depois não têm dinheiro para comprar os óculos aos filhos, que surgiu a ideia base de todo o projeto. Não estamos a falar sequer de crianças negligenciadas, estamos a falar de pessoas muito pobres e que a Segurança Social não dá qualquer comparticipação para a aquisição de óculos, existindo situações escolares gravíssimas por deficiência de visão”.

Para Maria João Quadrado, Presidente da SPO, “este projeto surge como reconhecimento de uma realidade social e a SPO associa-se e apoia causas que tenham como finalidade contribuir para a melhoria das condições de acesso a cuidados de saúde adequados que cheguem a todos. É por isso que neste dia Mundial da Visão, a Sociedade Portuguesa de Oftalmologia associa-se ao Banco de Óculos lançando um apelo para que as pessoas doem os seus óculos e armações usados que serão depois distribuídos por pessoas carenciadas – crianças, adultos e idosos – que serão referenciados pelas diversas instituições que desenvolvem trabalho social junto da comunidade”.

Pin It on Pinterest