Morreu o neurocirurgião João Lobo Antunes

Faleceu o neurocirurgião João Lobo Antunes, esta quinta-feira, aos 72 anos. Licenciado em Medicina pela Universidade de Lisboa, foi professor catedrático de neurocirurgia da Faculdade de Medicina de Lisboa e director de serviço de neurocirurgia do Hospital de Santa Maria, também em Lisboa. Era actualmente presidente do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida.

O neurocirurgião foi o primeiro médico da história a implantar um olho electrónico num cego, um implante que desde então já foi feito em 15 invisuais, permitindo-lhes ver algumas formas e distinguir certas cores. No último dia de 25 de Abril recebeu das mãos do Presidente da República a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade. Já antes tinha recebido a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique e a Grã Cruz da Ordem Militar de Sant’Iágua de Espada. Depois de agraciado (em 1996) com Prémio Pessoa, recebeu (em 2003) a Medalha de Ouro de mérito do Ministério da Saúde e (em 2013) o Prémio da Universidade de Lisboa.

João Lobo Antunes foi vice-presidente para a Europa do World Federation of Neurosurgical Society (1990), presidente da Sociedade Europeia de Neurocirurgia (1999-2003), do Conselho Superior de Ciência, Tecnologia e Inovação (2003-2006), da Sociedade de Ciências Médicas de Lisboa e da Academia Portuguesa de Medicina e Professor Convidado da Universidade de Pequim.

A nível político, foi mandatário nacional das candidaturas presidenciais de Jorge Sampaio (em 1996) e de Cavaco Silva (em 2006). Com Cavaco Silva, Lobo Antunes fez depois parte do Conselho de Estado.

Pin It on Pinterest