Portugal é o país europeu que menos se preocupa com o cibercrime

Uma em cada três pequenas e médias empresas portuguesas não vê o cibercrime como uma ameaça, de acordo com o “Estudo Zurich PME: Riscos e Oportunidades” promovido em oito países. Quando questionados sobre de que forma os cibercriminosos poderiam afetar o seu negócio, 18,5% dos portugueses confessa que não tinha pensado no cibercrime como uma ameaça e 16% acredita que a empresa é demasiado insignificante para os cibercriminosos.

Entre os países europeus auscultados, Portugal é o país que revela menor preocupação com este tema. Analisando isoladamente as respostas, conclui-se, no entanto, que 20% dos empresários espanhóis considera que a empresa é demasiado insignificante para os cibercriminosos, ou seja, mais 3,5% do que os portugueses.

“Os empresários nacionais ainda revelem pouca atenção à transformação digital que as empresas e a vida em sociedade estão a viver. Numa semana em que Portugal recebe um dos maiores eventos de tecnologia do Mundo, diria que se deve encarar estas circunstâncias como um incentivo para estarmos todos cada vez mais atentos às oportunidades e, em simultâneo, às ameaças que este fenómeno implica”, sublinha Artur Lucas, Diretor de Marketing e Comunicação da Zurich Portugal.

Pin It on Pinterest