Novas tecnologias no apoio a imigrantes

O Ministro-Adjunto, Eduardo Cabrita, sublinhou a importância das novas tecnologias no apoio a imigrantes, afirmando que o Governo já tira partido da era digital para apoiar os refugiados que o País recebe.

«Usamos as tecnologias como forma de aumentar a informação sobre Portugal, e também para o atendimento telefónico pelos centros de apoio a imigrantes, que permitem agora o apoio em mais de 60 línguas», disse o Ministro, que participou numa mesa redonda sobre migrações, no âmbito da Web Summit, o maior evento de tecnologia do mundo, que decorre em Lisboa entre os dias 7 e 11 de novembro.

Em declarações à agência Lusa, Eduardo Cabrita lembrou ainda que «todos os estudos dizem que políticas migratórias em países ricos e envelhecidos, se tratadas com tempo, têm um efeito positivo na economia», nomeadamente porque os migrantes são, na sua maioria, jovens.

O Ministro referiu que «as novas tecnologias podem ser um instrumento de igualdade e solidariedade» e, no quadro da política de solidariedade do Governo, «foi criado um kit para refugiados, que já está a ser distribuído junto de potenciais refugiados que venham para Portugal».

«O próprio Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados mostrou interesse em usar programas desse tipo, que permitem dar informações importantes, sobre saúde ou educação por exemplo», acrescentou.

Eduardo Cabrita concluiu, lembrando que «a política de imigração em Portugal tem sido a de participação local no apoio a refugiados», evitando a criação de campos, e apostando antes numa plataforma online para apoiar a educação e a aprendizagem do português.

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger