Taxista condenado a pena suspensa

Hugo Caturna, um dos três taxistas detidos na manifestação de 10 de Outubro, foi condenado, hoje, a três anos de pena suspensa pelo tribunal de Instância Local de Lisboa.

Na leitura da sentença, a juíza informou o arguido, que tem antecedentes criminais, tratar-se da sua “derradeira oportunidade”. O taxista fica ainda obrigado a fazer um pedido de desculpas por escrito ao chefe da PSP que atingiu com um artefacto pirotécnico e a entregar 500 euros à Associação de Apoio à Vítima (APAV).

Hugo Caturna foi condenado pelos crimes de resistência e coacção sobre funcionário e detenção de arma proibida.

O tribunal deu como provado que durante a manifestação dos taxistas de 10 de Outubro, Hugo Caturna arremessou uma tocha atingindo o agente Luís Almeida e tinha na sua posse uma arma proibida.

O protesto dos taxistas esteve relacionado com as novas regras para as plataformas electrónicas como a Uber e a Cabify.

Pin It on Pinterest