Campanha alerta portugueses para doença respiratória rara e de difícil diagnóstico

A Respira – Associação Portuguesa de Pessoas com DPOC e outras Doenças Respiratórias Crónicas e a Sociedade Portuguesa de Pneumologia promovem hoje, em Lisboa, a campanha “Vida com mais fôlego”. A ação, que conta com o apoio da Roche, pretende sensibilizar os portugueses para a Fibrose Pulmonar Idiopática (FPI), uma patologia desconhecida pela maioria da população. O objetivo é incentivar as pessoas a experienciar as limitações de um doente com FPI, através da utilização de um colete que condiciona a realização de tarefas simples como caminhar, tocar um instrumento de sopro ou encher um balão. A iniciativa decorre no Atrium Saldanha, entidade que se associou à campanha, entre as 10h e as 20h.

Para Isabel Saraiva, vice-presidente da Respira, «para além do trabalho que vimos fazendo na área da DPOC, também nos cumpre atender a outras doenças respiratórias crónicas e esta é uma doença altamente incapacitante e com grande impacto na qualidade de vida. Informar e sensibilizar é fundamental, para que o diagnóstico seja o mais precoce possível». Este é um outro problema da FPI, o difícil e tardio diagnóstico, sendo que quando este é realizado o doente, por norma, já está numa fase avançada da doença. «Quanto mais cedo se diagnosticar e tratar, mais função respiratória é preservada», alerta Venceslau Hespanhol, presidente da Sociedade Portuguesa de Pneumologia.

Pin It on Pinterest