Cartas ao Pai Natal começaram a chegar aos CTT

Já começaram a chegar às centrais dos CTT as cartas que todos os anos dezenas de milhares de crianças escrevem ao Pai Natal. Esperamos este ano cerca de 170 mil cartas. Os CTT, em nome do Pai Natal, fazem a sua parte e responderão a todas elas. As cartas ao Pai Natal são as únicas que não precisam de selo para serem aceites pelos CTT. Mas este Pai Natal não é o único. Tal como nos últimos anos, os CTT abrem toda a sua rede ao Pai Natal Solidário, que deposita em algumas Lojas CTT de todo o País, cartas escritas e desenhadas por crianças desfavorecidas à guarda ou acompanhadas por IPSS, com pedidos de presentes que poderão ser oferecidos e apadrinhados por qualquer um de nós.

Para a maioria destas crianças, as cartas ao Pai Natal e ao Pai Natal Solidário são o primeiro contacto com esta forma de comunicação. E muitas vezes esta primeira vez chega-nos cheia de criatividade, começando logo na forma como nomeiam a morada deste destinatário famoso: “Casa da Lapónia”, “Planeta dos Brinquedos”, “Terra da Neve”, ou a mais comum “Casa do Pai Natal”.

No que toca aos pedidos de presentes sente-se normalmente um grande alinhamento pelos brinquedos “que estão na moda”, o que naturalmente não impede a chegada de pedidos mais surpreendentes, alguns até únicos. Os animais de estimação são um pedido que vai sendo enviado ao Pai Natal, por exemplo. Por uma vez, num Natal passado, chegou um pedido de um irmão.

O outro Pai Natal, o Pai Natal Solidário, tem por vocação garantir que esta magia de Natal chega a todas as crianças, nomeadamente aquelas mais desfavorecidas. Nesse sentido, os CTT pediram a 2300 crianças até 12 anos de 54 instituições de solidariedade, de Norte a Sul do País (o número ainda está a crescer), que escrevessem as suas cartas ao Pai Natal.

Estas cartas estão publicadas na Internet em www.painatalsolidario.pt e numa seleção de 30 lojas CTT de Portugal continental e ilhas, onde qualquer pessoa pode apadrinhá-las, oferecendo à criança o presente pedido. Basta entregá-lo nos CTT, que o entregarão gratuitamente e mantendo o anonimato das crianças e dos padrinhos. Para proteger as crianças, a identidade delas é mantida confidencial, mesmo dos padrinhos, garantindo os CTT a entrega, gratuita, do presente à criança certa.

Pin It on Pinterest