Portugal vai solicitar a intervenção de Bruxelas

Portugal vai solicitar a intervenção de Bruxelas no caso do aterro de resíduos junto à central nuclear de Almaraz, disse o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, à saída de uma reunião com a sua homóloga espanhola, Isabel García Tejerina.

O Governo português defende que no projecto “não foram avaliados os impactos transfronteiriços”, como defendem regras europeias.
“O que é exigido por Portugal é que se reconheça que não foi cumprida a directiva europeia de impactos ambientais e de impactos transfronteiriços”, insistiu João Matos Fernandes, acrescentando que o caso será apresentado em Bruxelas na próxima segunda-feira.

Espanha, por outro lado, diz que não há nenhuma decisão tomada sobre a continuação de funcionamento da central de Almaraz para além de 2020.
A funcionar desde o início da década de 1980, a central está situada junto ao Tejo e faz fronteira com os distritos de Castelo Branco e Portalegre.
A central nuclear de Almaraz tem dois reactores nucleares, cada um com uma “piscina” para guardar o lixo nuclear, prevendo-se que a do “reactor 1” alcance o limite da sua capacidade em 2018.

Pin It on Pinterest