Três investigadores portugueses premiados com estágios internacionais

A Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED) premiou três investigadores portugueses com bolsas de apoio a estágios individuais de formação de curta duração na área da dor, duas na vertente clínica e uma de ciências básicas, no valor unitário de 2 mil euros.

O investigador português Daniel Humberto Pozza, professor na Faculdade de Medicina (FMUP) e na Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação (FCNAUP) da Universidade do Porto acabou de receber a Bolsa APED de apoio a um estágio na área básica da dor. O estágio será realizado no Laboratório de Biologia Celular, Faculdade São Leopoldo Mandic (SLMANDIC) de Campinas, São Paulo, Brasil.

“Este estágio na área da dor orofacial vai permitir compreender melhor os mecanismos fisiopatológicos e farmacológicos, abordando os diferentes modelos animais de dor orofacial”. Acrescenta ainda que: “vou ter oportunidade de melhorar os meus conhecimentos na área em que já tenho vindo a trabalhar”, afirma Daniel Pozza.

Premiadas na vertente clínica da área da dor, Joana Monteiro, do Centro Hospitalar de São João, no Porto, e Rute Sampaio, investigadora do Departamento de Biologia Experimental da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto terão oportunidade, durante o estágio, de adquirir novos conhecimentos, essenciais para a continuação dos respetivos projetos e desenvolvimento futuro de projetos nesta área em Portugal. Os estágios serão realizados na Northwerstern University, em Chicago, e em várias instituições muito prestigiadas também na investigação em dor, em Londres, respetivamente.

As bolsas deverão ter uma duração igual ou superior a 15 dias e igual ou inferior a 90 dias e uma data de início planeada até ao final do 2º trimestre de 2017 (30 de junho).

A Associação Portuguesa para o Estudo da Dor (APED) tem por objetivos promover o estudo, o ensino e a divulgação dos mecanismos fisiopatológicos, meios de prevenção, diagnóstico e terapêutica da dor.

Pin It on Pinterest