SEF identifica sete cidadãos estrangeiros em situação irregular

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), com a colaboração da Guarda Nacional Republicana, realizou uma ação de fiscalização, na zona de Arganil, na qual identificou sete cidadãos estrangeiros em situação irregular, detetados a trabalhar sem documentação para o efeito.

Para além da avaliação de outras incidências associadas às circunstâncias de entrada e permanência no nosso país, será instaurado à entidade para a qual os cidadãos estrangeiros em situação irregular prestam serviço, um processo contraordenacional cuja coima correspondente poderá oscilar entre os 4.000 e os 15.000 euros.

Os indivíduos em causa foram detetados a trabalhar irregularmente para uma empresa nacional, tendo entrado em território nacional ao abrigo de regime de isenção de vistos para efeitos de turismo, razão pela qual não podiam desenvolver qualquer atividade profissional no nosso país.

Dos sete cidadãos detetados, um já havia sido anteriormente detido por falsificação de documentos e permanência irregular, estando o respetivo processo de afastamento coercivo em instrução no SEF.

Os restantes seis foram notificados para abandono voluntário de território nacional, no prazo de vinte dias, sob pena de, em caso de incumprimento, virem a ser detidos e afastados coercivamente de Portugal.

Pin It on Pinterest