Rede de cuidados continuados integrados em saúde mental quer substituir o internamento pela integração

A Diretora Regional da Saúde destacou, na última sexta-feira, a importância da rede de cuidados continuados integrados em saúde mental, na promoção e integração dos utentes na sociedade. Tânia Cortez, que falava, em Angra do Heroísmo, durante a abertura solene das comemorações dos 50 anos da Casa de Saúde do Espírito Santo, frisou que esta rede “é o resultado do compromisso assumido no Plano Regional de Saúde.”

Na linha de ação para a área da saúde mental, a estratégia do Governo passa por reduzir os internamentos. Tânia Cortez, que representava o Secretário Regional da Saúde, revelou que serão criadas “equipas de saúde mental de apoio domiciliário, um modelo já testado em São Miguel, através de um projeto-piloto.”

O funcionamento integral desta rede passa por “incluir uma equipa de coordenação regional de cuidados continuados integrados, a implementação de uma plataforma informática para referenciação e a atualização das diretrizes de financiamento por tipologia de unidade e equipa”, salientou a governante.

Na ocasião, a Diretora Regional da Saúde elogiou ainda o desempenho da Casa de Saúde do Espírito Santo pela prestação de cuidados diferenciados e humanizados e disse esperar “poder continuar a contar com esta parceria dedicada à causa da saúde mental.”

Pin It on Pinterest