“Taxa média anual de ocupação na Madeira é, provavelmente, a mais alta do mundo”

O Secretário-Geral da Organização Mundial do Turismo (OMT), Taleb Rifai, esteve ontem na Madeira. Uma visita há já algum tempo esperada, enquadrada nas relações mais próximas que têm vindo a ser estabelecidas, ao longo do último ano, entre a Região e a OMT.

Após uma manhã intensa de trabalho –  cujo momento alto, para além do debate com o setor privado sob a temática da sustentabilidade, incidiu na cerimónia de Assinatura do Compromisso com o Código Global de Ética do Turismo, por parte de cinco entidades regionais do sector privado, que foram aprovadas, pela OMT, atendendo ao facto de já preconizarem, nas suas atividades, ações e práticas de sustentabilidade que se encontram inseridas neste Código – o Secretário-Geral participou, juntamente com o Secretário Regional da Economia, Turismo e Cultura da Madeira, Eduardo Jesus, numa conferência de imprensa, onde afirmou, claramente, estar surpreendido com a forma como o destino Madeira tem evoluído, equilibrando tal crescimento com os princípios da sustentabilidade que se defendem para este setor.

Crescimentos consecutivos que levaram a Madeira a viver, no ano de 2016, o seu melhor ano de sempre, no que à performance turística respeita, dentro da qual Taleb Rifai fez questão de destacar a ocupação hoteleira, referindo que a Taxa média anual de ocupação registada neste destino «é, provavelmente, a mais alta do mundo».

Palavras que naturalmente entusiasmaram a plateia e que o Secretário Regional da Economia, Turismo e Cultura considera «como o resultado direto da nova estratégia adotada e de um trabalho que tem sido profícuo entre as entidades públicas e todos os agentes privados do setor, a manter e a intensificar este ano, numa perspetiva de requalificação que se impõe».

Relativamente a esta deslocação, Eduardo Jesus não tem dúvidas de que «o reforço da notoriedade do destino implica o trabalho de fundo que tem vindo a ser desenvolvido no último ano mas implica, também, a maior credibilização da Região nas organizações internacionais do sector, ao mais alto nível, como é o caso da OMT. Este novo posicionamento e a disponibilidade encontrada permitem que se trabalhe, conjuntamente, recuperando uma relação que já foi, em tempos, muito positiva», reforça.

Recorde-se que o desafio para esta visita foi lançado ainda no final de 2015, precisamente pelo Secretário Regional da Economia, Turismo e Cultura, aquando da sua participação na Conferência Ministerial realizada no âmbito da World Travel Market, em Londres. Em março do ano passado, por ocasião da ITB – Berlim, Eduardo Jesus reuniu, a seu pedido, com Taleb Rifai, para apresentar a estratégia que estava a ser seguida pela Região, os resultados previstos e alguns dos projetos que se desejavam concretizar de forma conjunta, tudo isto para recuperar e reforçar a presença do destino na OMT. Altura que foi aproveitada para manifestar, mais uma vez, a vontade da Madeira receber a sua presença.

5 PRIVADOS ASSINARAM CÓDIGO DE ÉTICA
A Cerimónia de Assinatura do Compromisso com o Código Global de Ética do Turismo, por parte de cinco entidades regionais do sector privado foi, sem dúvida, um dos pontos altos deste programa. Entidades que foram aprovadas, pela OMT, atendendo ao facto de já preconizarem, nas suas atividades, ações e práticas de sustentabilidade que se encontram inseridas neste Código. São elas os Grupos Porto Bay, Pestana, Four Views, Savoy e a Quinta do Furão, entidades que, a partir de agora, terão de informar, periodicamente, esta Organização Mundial acerca do cumprimento das ações a que ficam obrigados.

Referência fundamental para um turismo responsável e sustentável, o Código Global de Ética para o Turismo apresenta um conjunto abrangente de princípios destinados a orientar os principais intervenientes no desenvolvimento do turismo. Dirigido aos governos, à indústria de viagens, às comunidades e aos turistas, visa ajudar a maximizar os benefícios do setor, minimizando seu potencial impacto negativo no meio ambiente, no património cultural e nas sociedades.

Adotado em 1999 pela Assembleia Geral da Organização Mundial do Turismo, o seu reconhecimento pelas Nações Unidas, dois anos mais tarde, encorajou expressamente a OMT a promover o acompanhamento eficaz das suas disposições.

Pin It on Pinterest