Auditório da SRAP recebe 1.ª reunião da Comissão Técnica do Pão Tradicional da Madeira

Tem lugar esta terça feira, pelas 15h, no auditório da Secretaria Regional de Agricultura e Pescas (SRAP) a 1.ª reunião da Comissão Técnica do Pão Tradicional da Madeira (a «CTPão»), a qual irá contar com a presença do secretário regional de Agricultura e Pescas, Humberto Vasconcelos, na sessão de abertura

A «CTPão», é um órgão consultivo da Secretaria Regional de Agricultura e Pescas criado pela Portaria n.º 406/2016, de 28 de setembro, ao abrigo do que prevê o Decreto Legislativo Regional n.º 4/2016/M, de 2 de fevereiro, o qual estabelece o regime relativo à produção e comercialização do Pão Tradicional da Região Autónoma da Madeira. Este diploma veio reconhecer a especificidade, a tipicidade e a qualidade distinta de certos produtos da panificação desenvolvida na Região Autónoma da Madeira, bem como estabelecer as regras gerais relativas à produção e comercialização desses produtos, protegendo-os contra o aviltamento e a imitação, procurando preservar este inestimável património cultural e gastronómico regional.

Entre as variedades de pão tradicional da Madeira, destacam-se o «Bolo-do-caco» e o «Pão-de-Casa», cujo principal fator distintivo ao nível dos ingredientes, é a utilização da batata-doce, tubérculo este que imprime à massa panar características sápidas e de aroma inconfundíveis, e cujo uso está relacionado com a tradição, importância e disseminação desta cultura agrícola no território da Região Autónoma da Madeira, pelo menos desde o século XVII.

Das várias competências da «CTPão», destacam-se: aprovar a definição das características das diferentes variedades de «Pão Tradicional da Madeira», através do estabelecimento do seu receituário base, modo de produção, formatos, intervalos de pesos nominais e as formas de acondicionamento e embalagem; analisar e emitir parecer, sobre as condições especiais a que devem obedecer as instalações dedicadas ao fabrico, bem como os equipamentos e utensílios a utilizar no processo produtivo de «Pão Tradicional da Madeira»; analisar e emitir parecer sobre o Manual de Boas Práticas para a produção e comercialização das diferentes variedades de «Pão Tradicional da Madeira», e conduzir o processo de reconhecimento dos produtores de «Pão Tradicional da Madeira».

A «CTPão» é composta por representantes das associações reconhecidas das áreas da produção artesanal e industrial de produtos de panificação e da sua comercialização e dos departamentos da administração pública regional que tutelam estes setores, bem como, por representantes de outras entidades, públicas e privadas, ligadas à cultura e à gastronomia madeirense.

Esta Comissão Técnica envolve, de base, a Direção Regional de Agricultura, que a ela preside, a Direção Regional de Economia e Transportes, a Autoridade Regional das Atividades Económicas, a Associação dos Industriais de Panificação, Pastelaria e Confeitaria da RAM (AIPPCRAM), a Associação Comercial e Industrial do Funchal (ACIF), a Associação de Desenvolvimento da Região Autónoma da Madeira (ADRAMA), a Associação de Casas do Povo da Região Autónoma da Madeira (ACAPORAMA), a Escola Profissional de Hotelaria e Turismo da Madeira, a Confraria Gastronómica da Madeira e, já a partir desta primeira reunião, a Direção Regional de Cultura, a Associação de Agricultores da Madeira (AAM), e a Associação de Jovens Agricultores da Madeira e do Porto Santo (AJAMPS).

Neste encontro de entrada de funcionamento da «CTPão», entre outros pontos, será analisado o projeto do seu Regulamento Interno, e colocada à apreciação uma proposta de Manual de Boas Práticas para a produção e comercialização de diferentes variedades de Pão de Tradicional da Madeira.

De destacar que, no âmbito da reunião, e dado que temas de grande importância para os membros da «CTPão», serão incluídas duas apresentações:

– «A importância do forno de pedra natural de origem vulcânica (cantaria “mole”) na qualidade e sabor do pão e da doçaria regional» – pelo Doutor Eng.º João Baptista (Investigador, UI GEOBIOTEC, Universidade de Aveiro);

– «O Caderno de Especificações do Pão de Casa da Madeira – Indicação Geográfica Protegida» – pela Eng.ª Ana Soeiro (Diretora Executiva da Qualifica- Associação Nacional de Municípios e de Produtores para a Valorização e Qualificação dos Produtos Tradicionais Portugueses, representante em Portugal do movimento ORIGIN, organização não governamental criada em 2003 para responder ao fenómeno crescente das usurpações que afetam as Indicações Geográficas, e que representa hoje mais de 350 Agrupamentos de Produtores de IGs, provenientes de mais de 40 países).

Pin It on Pinterest