Arguidos da operação “0 Negativo” estão em liberdade

Dois arguidos da operação “0 Negativo”, Luís Cunha Ribeiro e Lalanda de Castro, estão em liberdade desde 1 de Março, deixando a prisão domiciliária.

O ex-presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa (e do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM)) e o ex-administrador da farmacêutica Octapharma em Portugal tiveram as suas medidas de coação alteradas pelo Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, adianta a SIC Notícias, passando à condição de liberdade com proibição de manterem contacto um com o outro e de saírem do país.

Lalanda e Castro e Luís Cunha Ribeiro são arguidos no inquérito da ‘Operação O Negativo’, dirigido pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, no qual se investigam suspeitas de que o ex-presidente do INEM terão acordado entre si benefícios indevidos à Octapharma nos concursos públicos.

Em causa estão factos suscetíveis de se enquadrarem na prática de crimes de corrupção activa e passiva, recebimento indevido de vantagem e branqueamento de capitais.

Pin It on Pinterest