Declaração de Hamilton ’em sintonia com as políticas regionais para o mar’

O Diretor Regional dos Assuntos do Mar afirmou ontem, na Horta, que a Declaração de Hamilton está em sintonia com as políticas do Governo dos Açores para o mar, salientando a “necessidade de proteger a biodiversidade marinha também nas áreas para além da jurisdição nacional”.

Filipe Porteiro falava na abertura da reunião anual da Comissão do Mar dos Sargaços e dos signatários da Declaração de Hamilton, que conta com a presença do Ministro da Educação das Bermudas e de representantes do Reino Unido, EUA, Mónaco, Bahamas, Canadá e Ilhas Caimão.

Na sua intervenção, salientou que a política regional no que respeita à conservação do meio marinho e à promoção de atividades humanas marítimas sustentáveis “​​começou há algumas décadas”, frisando que se trata de “uma pedra angular para o progresso e desenvolvimento socioeconómico” dos Açores.

Nesse sentido, afirmou que o Governo Regional pretende “harmonizar as iniciativas de ‘crescimento azul’ com a conservação dos recursos marinhos”, acrescentando que a participação dos Açores na Comissão do Mar dos Sargaços “é importante para a conservação do património comum”.

A Declaração de Hamilton para a Conservação do Mar dos Sargaços foi assinada, em 2014, pelas Bermudas, Reino Unido, Principado do Mónaco, Estados Unidos da América e Região Autónoma dos Açores, tendo sido subscrita mais tarde pelo Canadá e pelas Ilhas Caimão.

O Governo dos Açores propôs à Comissão do Mar dos Sargaços que a reunião de 2017 decorresse na cidade da Horta, no Faial, tendo apoiado toda a sua organização.

Pin It on Pinterest