Mergulhadores da Marinha detetam minas reais em Itália

A Marinha terminou esta semana a sua participação no exercício Italiano Mare Aperto – Italian Minex 17, na zona da Sardenha, no qual empenhou o Destacamento de Mergulhadores Sapadores Nº 3 – Mine Warfare.

Neste exercício os mergulhadores utilizaram veículos autónomos submarinos na deteção de minas, bem como equipamentos de mergulho de baixa assinatura acústica e magnética na sua recolha.

O destacamento detetou e recolheu duas minas reais, da segunda Guerra Mundial que se encontravam enterradas na área de exercício, para além das várias minas do exercício colocadas no local para o efeito. A Marinha dispõe desta equipa de mergulhadores para missões de desminagem e proteção portuária.

Saiba mais:

O Destacamento de Mergulhadores Sapadores nº3 foi ativado em 2008 no prosseguimento da edificação da capacidade de Guerra de Minas, prevista na Componente Operacional do Sistema de Forças Nacional.

Enquanto unidade vocacionada para a guerra de minas, o DMS3-MW tem como áreas de atuação principais o mergulho profundo, até à profundidade máxima de 81 metros, e a operação de veículos submarinos não-tripulados (UUV).

Este destacamento mantem igualmente uma estreita relação com o NATO Centre for Maritime Research and Experimentation (CMRE) e a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), para efeitos de investigação e desenvolvimento, e está preparado para participar em missões reais de busca e salvamento em profundidades superiores a 54 metros.

O DMS3-MW utiliza equipamentos de mergulho que operam em circuito semi-fechado com misturas respiráveis de Heliox, assim como veículos submarinos operados remotamente e autónomos (ROV e AUV), dos quais se destacam os AUV “Seacon”, desenvolvidos pela FEUP em parceria com a Marinha Portuguesa, ao abrigo de um protocolo de investigação e desenvolvimento assinado entre o Ministério da Defesa Nacional e estas duas entidades.

Pin It on Pinterest