Saída dos EUA do acordo climático de Paris é «uma decisão grave»

O Ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, afirmou que a saída dos Estados Unidos da América do acordo climático de Paris é «uma decisão grave», sublinhando que o aquecimento global «é uma questão que nenhum país pode resolver sozinho».

O Ministro considerou que a decisão anunciada pelo Presidente norte-americano, Donald Trump, é negativa para os próprios Estados Unidos, porque «não existe espaço no mundo, mesmo numa economia de grande dimensão como a americana, para imaginar que essa mesma economia pode crescer baseada no carvão».

Matos Fernandes referiu ainda «a mensagem política errada que pode ser passada a outros países e aos cidadãos norte-americanos», afirmando que a «inexistência do empenho de países como os Estados Unidos» no cumprimento das metas ambientais é «sempre muito negativa».

Concluído em 12 de dezembro de 2015 na capital francesa, assinado por 195 países e já ratificado por 147, o acordo climático de Paris entrou formalmente em vigor em 4 de novembro de 2016, e visa limitar a subida da temperatura mundial reduzindo as emissões de gases com efeito de estufa.

Portugal ratificou o acordo de Paris em 30 de setembro de 2016, tornando-se o quinto país da União Europeia a fazê-lo e o 61.º do mundo.

Pin It on Pinterest