‘Pesca de atum com a arte de salto e vara’ em debate nos Açores

O Governo dos Açores, através da Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, promove, a 16 e 17 de outubro, na Horta, a realização do primeiro encontro internacional sobre a pesca de atum com recurso à arte de salto e vara.

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou que este evento, que vai reunir líderes governamentais de vários países, bem como armadores, pescadores, associações do setor, comerciantes, indústria, investigadores e membros de organizações não governamentais, pretende “valorizar uma técnica artesanal, amiga do ambiente, também utilizada nos Açores para a captura de atum”.

Nesse sentido, Gui Menezes salientou a necessidade de “sensibilizar a comunidade internacional para a importância de defender o salto e vara como uma arte ambientalmente sustentável”, acrescentando que esta pesca “deve receber um tratamento distinto da pesca industrial, na medida em que salvaguarda a preservação do atum e respeita o ecossistema marinho”, não afetando animais marinhos como, por exemplo, os golfinhos.

A sustentabilidade das pescarias de atum tem sido uma preocupação do Governo dos Açores que, junto da Comissão Europeia e da Comissão Internacional para a Conservação dos Atuns do Atlântico (ICCAT), tem defendido a implementação de medidas mais restritivas à pesca industrial desta espécie, que se desenvolve essencialmente utilizando redes de cerco e tecnologias de agregação de peixe, bem como a criação de corredores marítimos livres deste tipo de dispositivos.

A partilha das melhores práticas, a identificação dos desafios relacionados com a utilização de artes de pesca artesanais em diferentes regiões e a avaliação do potencial que representam em termos de valorização do pescado são alguns dos objetivos da primeira Conferência Internacional de Salto e Vara.

“Esta iniciativa reveste-se de grande importância para todas as regiões que utilizam o salto e vara e, em particular, para os Açores, onde os pescadores utilizam esta técnica desde os anos 50 do século XX”, afirmou Gui Menezes, acrescentando que a Região, ao promover a realização desta conferência, assume “uma posição de liderança no contexto mundial na defesa desta técnica de pesca artesanal”.

A Conferência Internacional de Salto e Vara, organizada pelo Governo dos Açores em parceria com a Fundação Internacional de Salto e Vara (IPNLF), já tem confirmados participantes de uma dezena de países para além de Portugal, nomeadamente dos EUA, África do Sul, Reino Unido, Espanha, Senegal, Cabo Verde, Japão, Maldivas, Alemanha e Bélgica.

Pin It on Pinterest