Projeto literário valoriza Jardim Antero de Quental

O Vice-Presidente da Câmara Municipal, Fernando Marques Fernandes, defendeu que o projeto de Vitalização Literária do Jardim Antero de Quental vem afirmar Ponta Delgada na “disponibilização de elementos culturais em espaços de lazer”.

O responsável falava na inauguração do projeto, que consiste na homenagem dos escritores e da literatura de inspiração açoriana, ao mesmo tempo que homenageia o patrono do jardim, Antero de Quental, e outras duas figuras da literatura de projeção nacional, como são Natália Correia e Vitorino Nemésio, cuja importância é sublinhada naquele espaço de lazer, com a instalação de três imagens de grande porte a representarem cada um dos referidos escritores.

O projeto, de iniciativa conjunta da Câmara Municipal de Ponta Delgada (responsável pela logística) e da Publiçor – Letras Lavadas inclui elementos decorativos e pedagógicos no jardim – o caso das já referidas imagens, a que se juntam dois livros de árvore (colocados de modo a serem lidos no suporte das árvores, mas sem colocar em causa os respetivos troncos) e três livros em formato tora ou pergaminho.

O Vice-Presidente destacou que “não há realização sem ideias”, aludindo à “criatividade” da conceção dos elementos decorativos concebidos da equipa criativa da Nova Gráfica/Publiçor, liderada por Luís Rego e Jaime Serra, bem como à abrangência do público pelos mesmo, “sem perder de vista a população local e quem nos visita, uma vez que os livros estão disponibilizados no jardim em edição bilingue, Português/Inglês, exceção para o livro “Sonetos”, de Antero de Quental, que pode ser lido no local em seis línguas.

Segundo Fernando Marques Fernandes, os novos elementos do Jardim Antero de Quental “permitem que o espaço seja hoje de fruição acrescida, de cultura e de exaltação da identidade e das raízes açorianas”, lembrando, também, outros projetos de leitura em curso como a Microbiblioteca, no centro da cidade, e o programa sazonal “Verão a Ler”, que leva os livros às zonas balneares e outros espaços de lazer de Ponta Delgada.

Com o projeto de Vitalização Literária do Jardim Antero de Quental, o visitante pode ler os seguintes livros: Em formato de tora, “O Imaginário dos Escritores Açorianos”, de Vamberto Freitas, “Perguntas & Respostas sobre a História dos Açores”, de Luís Mendonça, e “Um Lugar Chamado Açores”, de Alexandra Castela e de Elsa Gouveia; Em suporte de árvore podem ser lidos “O Barco e O Sonho”, de Manuel Ferreira, e o livro “Sonetos”, de Antero de Quental.

Na inauguração do projeto foram distribuídos vários exemplares do livro prémio “Augustina Bessa-Luís” de 2009, “Sem Fim à Vista – A Viagem”, de Raquel Ochoa, com ilustrações de Urbano, um romance sobre um açoriano, que vai ser traduzido em inglês.

Pin It on Pinterest