Britânico Gary Hunt voltou à sua melhor forma

A quinta etapa do Red Bull Cliff Diving World Series disputada no último fim de semana (16 de setembro) na Bósnia e Herzegóvina trouxe de volta aos lugares cimeiros o atleta mais cotado do circuito mundial – o britânico Gary Hunt. Em femininos a ausência da australiana Rhiannan Iffland, devido a lesão, abriu espaço para a consagração da norte-americana Cesilie Carlton.

O mais cotado atleta do Red Bull Cliff Diving World Series, detentor de seis títulos, está de volta à sua melhor forma. Foi isso mesmo que se viu no último fim de semana (16 de setembro) em Mostar, na Bósnia e Herzegóvina, durante a quinta etapa do circuito. Hunt tinha até aqui alguma dificuldade em mostrar toda a qualidade dos seus saltos em etapas realizadas a partir de pontes, falhando sucessivamente o lugar mais alto do pódio. Este jejum terminou e permitiu mesmo a Hunt não só recuperar a sua auto estima, como também voltar ao comando da classificação geral, quando falta apenas uma etapa para o fim da época de 2017.

Hunt explica como superou o “bloqueio” das pontes nesta visita a Mostar: “Quando aqui cheguei li num jornal que nunca tinha ganho uma etapa realizada a partir de uma ponte. Nesse momento decidi que isso tinha de acabar e que não havia nenhuma razão para não saltar bem neste ambiente. Foi bom vencer e ultrapassar tudo isto. Estou animado e sinto confiança para conquistar mais um título no Chile”. O norte-americano Steven LoBue e o russo Nikita Fedotov (wildcard) completaram, respetivamente, o pódio.

Em femininos, a ausência da australiana Rhiannan Iffland, devido a uma lesão nos treinos, veio abrir espaço para outras protagonistas. A vencedora foi a norte-americana Cesilie Carlton, ficando os restantes lugares do pódio completos por Helena Merten (Austrália) e Anna Bader (Alemanha). Carlton estava radiante com este sucesso, depois de uma época que classificou até aqui como “terrível”.

Pin It on Pinterest