Investigadores desenvolveram sistema de segurança que autentica o utilizador rastreando o seu coração

Investigadores da Universidade de Buffalo, nos Estados Unidos, desenvolveram um sistema de segurança que autentica o utilizador rastreando o seu coração.

O novo sistema biométrico usa um radar Doppler que mede as dimensões do coração do utilizador, monitorizando também os seus batimentos cardíacos, de modo a criar um padrão único e individual. Ou seja, apenas o “dono” de um dado coração poderá desbloquear qualquer sistema que esteja protegido com esta tecnologia.

Segundo os autores da pesquisa, que vai ser apresentada na MobiCom 2017, a maior conferência de computação móvel do mundo, o radar funciona com cerca de 5 milliwatts de energia, gerando menos de 1% da radiação produzida pelos smartphones vulgares.

Um sistema com este tipo de biometria precisa de 8 segundos para rastrear o coração do utilizador pela primeira vez, e entre suas vantagens em comparação com a leitura de impressões digitais ou leitores de retina, está o facto de não exigir qualquer contacto do dispositivo com o corpo do utilizador.

Além da computação, a nova tecnologia pode ainda vir a ter aplicações práticas em outros campos – como os dispositivos móveis ou os equipamentos de segurança dos aeroportos.

Pin It on Pinterest