Samuel Úria em dueto com Manuela Azevedo

Já estreou o videoclip concebido por Ricardo Oliveira para a canção de Samuel Úria “Carga de Ombro” na sua versão em dueto com Manuela Azevedo. Tema título do último álbum de originais – “Carga de Ombro” – mereceu recentemente uma nova abordagem artística, provavelmente a mais assertiva, com o convite a uma das vozes maiores da música nacional, a cantora Manuela Azevedo, para uma autêntica parceria interpretativa de uma das canções que mais se destacou no disco publicado em 2016.

O flirt artístico com Manuela Azevedo é antigo – Samuel tem duas letras no último álbum dos Clã e teve oportunidade nos últimos anos de subir a palco com a banda nortenha um par de vezes quando de concertos no SBSR e Vodafone Mexefest – mas foi em Maio passado, quando do concerto realizado por Samuel Úria no Teatro Tivoli BBVA e em que a voz de “Sopro do Coração” foi uma das convidadas, que a ideia se concretizou, num dueto “ombro a ombro”, num dos momentos altos daquela noite.

Para dar imagem a este encontro, foi convidado o realizador Ricardo Oliveira, responsável por alguns dos videoclipes musicais mais interessantes dos últimos anos – “O vídeo para “Carga de Ombro” retracta um diálogo de Samuel Úria com ele próprio. Não pretendendo ter uma leitura clara e universal nem fazer uma adaptação visual da letra da música esta narrativa surrealista sugere apenas algumas ideias abstractas sobre o processo criativo, a inspiração, a passagem do tempo e a memória, deixando espaço para o espectador projectar as suas interpretações.”

Acompanhando tendência da interpretação musical estar distante do conceito mais habitual de “dueto”, Ricardo conclui: “É também, de um ponto de vista pessoal enquanto realizador, mais uma tentativa de repensar e até satirizar a linguagem e a forma do videoclip que muitas vezes se torna repetitiva e até estagnada. Os dois intervenientes, Samuel e Manuela, frente a frente, contrariam a expectativa de os ver cantar quer seja por não cantarem ou pela forma como cantam numa encenação sem contexto naturalista”. O resultado é inesperado e com paralelismos com ambientes cinematográficos que vagueiam entre David Lynch e Wes Anderson.

E enquanto este single estreia, Samuel Úria prossegue as suas apresentações ao vivo que têm decorrido em todo o país – no passado fim de semana passou pelo Sardoal e pelas Caldas das Taipas. Já esta semana será dedicada à participação no espectáculo colectivo “As canções de Leonard Cohen” estreado no passado dia 21 no CC Olga Cadaval com apresentações na lotada Casa da Música, no Porto, e no CAE da Figueira da Foz, respectivamente a 27 e 29 de Setembro.

Pin It on Pinterest