Espaço Comércio visa simplificar a relação dos cidadãos com os serviços da Administração Pública

«A partir do próximo dia 15 de dezembro, o Governo, em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa, e reagindo positivamente a um desafio que nos foi lançado pela União de Associações do Comércio e Serviços, vai lançar um novo espaço: o Espaço Comércio», disse o Secretário de Estado Adjunto e do Comércio, em declarações à agência Lusa.

Paulo Alexandre Ferreira acrescentou: «Este é um espaço disponível e pensado para os nossos comerciantes que visa disponibilizar mais de 140 serviços que são relevantes naquilo que é a sua atividade, seja de início, expansão, alteração ou mesmo de extinção, quando for o caso».

«O Espaço Comércio vai disponibilizar um conjunto de serviços que sejam relevantes do ponto de vista da interação com a Administração Pública, de uma forma simplificada, e num ponto único», disse ainda o Secretário de Estado, acrescentando que este projeto «vai tornar mais acessível informação relevante para que estes agentes económicos possam desempenhar da melhor forma a sua atividade».

Exemplos de entidades que agregarão neste Espaço os serviços prestados são a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, Direção Geral do Consumidor, Direção Geral das Atividades Económicas ou a Câmara de Lisboa.

«Queremos reduzir os custos de contexto para as empresas», sublinhou o Secretário de Estado, lembrando que «o Governo, desde a sua génese, tem vindo a fazê-lo no conjunto de medidas que tem vindo a lançar».

Paulo Alexandre Ferreira realçou que «o Espaço Comércio é especialmente relevante quando se pensa que as empresas neste setor de atividade são sobretudo micro e pequenas, onde o peso dos custos de contexto são mais significativos. Por outro lado, o facto de haver um ponto único onde a informação essencial está condensada permitirá que as empresas estejam mais informadas, logo mais cumpridoras».

O Secretário de Estado concluiu, dizendo que o objetivo do Governo é, posteriormente, alargar este projeto a todo o País, através de parcerias: «Queremos ter mais Espaços Comércio ao longo de 2018. Achamos que isto é relevante para a dinamização da iniciativa privada para que também por esta via as nossas empresas sejam mais inovadoras».

Pin It on Pinterest