Fringe apresenta 18 exposições de arte nos Açores

Azores Fringe é o festival internacional de artes, a maior mostra e montra de desenvolvimento artístico a acontecer, hoje em dia, no arquipélago, no meio do Atlântico.

De 25 de maio a 1 de julho é uma explosão artística que se vê em todas as ilhas e em espaços que vão desde o tradicional auditório até a lojas de comércio e até mesmo a própria paisagem açoriana.

A sexta edição abraça 18 exposições desde fotografia, ilustração, escultura e pintura. Além do epicentro, na ilha do Pico, este ano também há arte exposta no Atelier de Kaasfabriek, em São Jorge, e as esculturas Sorrisos de Pedra de Helena Amaral chegam ao Museu da Graciosa.

A Foto_Galeria no edifício dos Bombeiros Voluntários da Madalena acolhe o maior número de exposições, com a abertura na segunda-feira, 28 de maio, pelas 19h, onde também é lançado a primeira edição do Roteiro dos Moinhos do Pico, acompanhado pelo trabalho fotográfico de Davide Sousa e de Pedro Silva. Neste local, também se encontra imagens da experiência canadiana que os fotógrafos tiveram, com Jaime deBrum que, em adição, expõe seu trabalho “Manuel Morais Oficina de Vimes”. Quanto a artistas estrangeiros na mostra inclui-se Agathe Catel, da França, e Ahmed Elsakhawy, do Egipto. São dois artistas que se juntam à lista dos que vão estar em ação e que vêm explorar a ilha montanha durante o festival.

Pieter Adriaans volta ao Fringe com sua exposição de pintura “Sonhos”, patente na Atlântico Teahouse. Verónica Melo apresenta “Essência da Natureza” na Galeria A Brasa, partilhando o espaço com Eldrame, que nos traz “Ritmos Cabo Verdianos”, através de personagens construídas artesanalmente com folha de bananeira e casca de milho. A croata Lena Beletic apresenta uma coleção de ilustrações na Casa das Tisanas, em São Roque do Pico.

O Azores Fringe apresenta 85 eventos nas 9 ilhas dos Açores e abraça o certame mais eclético de sempre.

Pin It on Pinterest