Casa Branca decidiu não atribuir isenção à UE

A Casa Branca decidiu não atribuir qualquer tipo de isenção permanente às importações de aço e alumínio vindas da União Europeia (UE). A partir de hoje as exportações destes metais feitas para os Estados Unidos vão pagar taxas alfandegárias de 25% e 10%, respectivamente.

Foi o secretário do Comércio dos EUA, Wilbur Ross, a confirmar que a isenção temporária concedida à UE não será prolongada nem substituída por uma isenção permanente como pretendido por Bruxelas.

As medidas proteccionistas foram anunciadas pelo presidente americano, Donald Trump, no passado mês de Março e foram aplicadas a quase todo o mundo. O primeiro prazo para o fim das isenções terminou em 1 de Maio, a que se seguiu um novo prolongamento que terminava à meia-noite desta sexta-feira.

Assim, todas as exportações da UE, e dos outros países alvo das tarifas, de aço e alumínio feitas a partir de amanhã para os EUA terão de pagar as novas taxas alfandegárias.

“Consideramos que sem uma economia forte, não podemos ter uma segurança nacional robusta”, explicou Ross em declarações feitas aos jornalistas.

A União Europeia vinha negociando com as autoridades norte-americanas com vista à obtenção de isenções permanente, considerando que as taxas impostas violam as regras comerciais estabelecidas pela Organização Mundial do Comércio (OMC).

Pin It on Pinterest