‘Isenha 62’ com Ensaio de Gilda Dantas

A Islenha 62, publicação da responsabilidade da Secretaria Regional do Turismo e Cultura, tem como tema de capa o oportuno e bem fundamentado Ensaio de Gilda Dantas (Geografa e Investigadora) intitulado “A Cidade e os Vazios Urbanos – Novas Oportunidades” e começou a ser distribuída nesta quinta-feira, dia 26 de julho, encontrando-se disponível, para venda, na Loja Livros DRC Madeira, à Rua dos Ferreiros, nº 165 e nas Livrarias Habituais (na Região e no País), podendo ser ainda encomendada através do e-mail lojalivros.drcmadeira@gmail.com ou islenha.assinaturas@gmail.com

No referido Ensaio, a autora considera que a expansão da cidade, pela “deslocação da função residencial”, acompanhada do comércio, tem gerado os tais vazios urbanos que se configuram como “novas oportunidades”, «sobretudo pela renovação dos espaços urbanos e bem assim pela reabilitação ou mesmo alargamento da função ambiental, não se abdicando aqui da premência do comando político, através do reordenamento do território, sem dúvida, uma das questões de maior importância nos nossos dias», conforme refere Marcelino de Castro, Diretor da Revista, no seu editorial. Enquadrado nesta temática, o historiador Rui Carita apresenta um artigo que aborda os trabalhos e achados arqueológicos empreendidos na cidade.

A publicação integra, também, um criterioso Ensaio de José Guilherme Reis Leite, que retoma, assim, a presença dos Açores na Revista, artigo que trata da organização do território na Ilha Terceira, analisando quer a divisão em capitanias quer em concelhos e, depois, em paróquias.

Outras propostas de leitura correspondem ao artigo de Eberhard Axel Wilhelm, que tem investigado sobremaneira a presença alemã no arquipélago, assim como o estudo do economista João Abel de Freitas sobre a Companhia de Seguros Aliança Madeirense, constituída em 1891.

Pin It on Pinterest