CMF estabelece protocolo para Bolsa de Investigação

A Câmara Municipal do Funchal (CMF) estabeleceu um protocolo com a Fundação da Juventude (FJ) e com a Ordem dos Arquitectos para a 3ª edição do Programa Millenium – Bolsas de Investigação Cidade e Arquitectura, que este ano terá como tema “Cidade e Património Arquitetónico do Séc. XX: 1910-1999”.

Este programa nacional foca-se no papel da arquitectura na protecção e preservação do património cultural do país e prevê a realização de trabalhos inéditos de investigação técnica e científica, reunindo, para além do Funchal, vários municípios a nível nacional, nomeadamente: Cascais, Mafra, Maia, Matosinhos, Santa Maria da Feira e Vila Nova de Gaia, aponta o município. “O objetivo é que os jovens bolseiros analisem as cidades aderentes ao programa, tendo em conta o seu património cultural classificado ou em vias de classificação. A iniciativa conta com o apoio financeiro dos Municípios e com a Fundação Millennium BCP como mecenas, e prevê a atribuição de uma bolsa de investigação por cada município aderente, no valor de 2250€. As candidaturas estão abertas até 1 de junho de 2020.”

Ao programa podem candidatar-se jovens arquitectos com inscrição válida na Ordem dos Arquitectos, enquanto membros efectivos, cujo ano de nascimento seja posterior a 1985, inclusive (com idade até aos 35 anos). As candidaturas podem ser individuais ou em grupo de até três elementos.

A Câmara Municipal do Funchal enaltece a importância do apoio ao desenvolvimento de estudos técnicos e científicos inéditos que demonstrem a singularidade e a excelência do património construído no Séc. XX, contribuindo, de forma relevante, para o enriquecimento da carta patrimonial do Município, para a salvaguarda deste património e para a criação de novos circuitos turísticos e culturais, o que o Funchal tem vindo a fazer nos últimos anos”, afirma a CMF, destacando o apoio que o desenvolvimento de trabalhos como estes podem ter na empregabilidade territorial dos jovens.

Pin It on Pinterest