Participação no pós-emergência é “fundamental”

Giovanni Allegretti, investigador do Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra (UC) e coordenador do Observatório da Participação, da Inovação e dos Poderes Locais (PEOPLES) afirma que é importante “relembrar a classe política que a participação de cidadãs e cidadãos na reconstrução da sociedade no período pós-emergência é fundamental”.

Numa reflexão sobre o papel dos cidadãos após a pandemia da Covid-19, o investigador sublinha que “é claro que a participação vai ter que ser repensada”.

As pessoas têm medo de se reencontrar em grandes grupos, e provavelmente estão saturadas de tecnologia nas suas vidas, mas querem, sobretudo, ser ouvidas sobre grandes questões, como a reconstrução do estado social (sobretudo Educação e Saúde) e a luta contra as novas desigualdades e exclusões”, aponta..

Giovanni Allegretti defende que Portugal não pode ficar fora deste debate. E assinala que vários países já estão a trabalhar nesse sentido, como França, Espanha e Itália.

“Num país como Portugal, que entrou com força no mapa mundial da participação pública, à qual os meios de comunicação nacionais têm dedicado tanto espaço, é impossível ficar alheado”, assinala.

Pin It on Pinterest