ESBRAM faz sete mil transportes por mês

 

A Empresa de Serviços de Bombeiros da RAM recebeu ontem o certificada de qualidade da APCER. Na ocasião, Rui Nunes, administrador da empresa de transportes de doentes adiantou que a ESBRAM efectua sete mil transportes por mês.

A Empresa de Serviços de Bombeiros da RAM (ESBRAM), responsável pelo transporte de doentes não urgentes, efectua cerca de sete mil transportes por mês. O número foi avançado ontem por Rui Nunes, administrador da empresa, à margem da cerimónia de entrega do certificado de qualidade da APCER à ESBRAM.

Em declarações aos jornalistas Rui Nunes explicou que a empresa presta serviços na Região, desde Agosto de 2008, e só efectua o transporte de doentes mediante credencial solicitada por entidades ligadas ao Serviço Regional de Saúde. Até ao momento, a ESBRAM já realizou cerca de 25 mil transportes de doentes. “Diariamente temos uma média de 280 a 300 transportes e mensalmente efectuamos sete mil transportes”, revelou.

Sobre a certificação de qualidade da APCER Rui Nunes salientou que esta serve para a empresa dar garantias aos utentes de que está preocupada com a qualidade do serviço que presta. “Quisemos dar aos nossos tripulantes as condições necessárias e suficientes para tratarem bem os utentes com todos os cuidados que merecem. Com esta certificação demonstramos também que as nossas viaturas apresentam as necessárias condições de segurança e de conforto para transportar os doentes”.

Questionado sobre as reclamações dos utentes em relação aos tempos de espera Rui Nunes admite que há alguns atrasos, no entanto, considera que a situação já esteve pior. “Os tempos de espera têm vindo a diminuir. Os serviços são programados de um dia para o outro, mas muitas vezes há situações de espera mais ou menos prolongada, nomeadamente os serviços das urgências que quando têm alta são transportados por nós. Mas mesmo assim o tempo médio de espera de uma urgência é de duas horas”, esclareceu. De referir que a ESBRAM tem uma frota de 26 viaturas de dois tipos: com maca e sem maca e emprega 84 trabalhadores. Rui Nunes garante que a empresa é auto-suficiente, tem apenas algumas dificuldades de tesouraria, devido à conjuntura. De referir que valor do transporte é feito por quilometro e custa 0,98 cêntimos ao Serviço Regional de Saúde. Esta cerimónia contou também com a presença do secretário regional dos Assuntos Sociais, Francisco Jardim Ramos, que aproveitou a ocasião para agradecer os serviços prestados pela ESBRAM. F.S

Pin It on Pinterest